Pesquisar este blog

sábado, 27 de junho de 2020

Cirene Tostes



Nome real: Cirene Tostes*

(*) Nome artístico

Créditos: Cirene Tostes, ou Sirene Tostes

Atividades: Atriz

Áreas: Teatro, cinema e TV

Nascimento: 192?, Rio de Janeiro/RJ

Óbito: 19??, Rio de Janeiro/RJ

Causa óbito: Desconhecida

Relacionamentos: Namorou com o ator Ruy Vianna (1941-1944). Foi casada com Ruy Vianna (1944-1950).

Nota: Afastou-se da mídia.

Carreira: 1937-1978

Alguns trabalhos:

1938 - Maridinho de Luxo (Cinema)
1941 - Divino Perfume (Teatro)
1942 - A Doença Branca (Teatro)
1943 - A Mulher e os Espelhos (Teatro)
1943 - Amanhã Será Outro Dia (Teatro)
1943 - Deus (Teatro)
1943 - Mulher (Teatro)
1945 - A Ditadora (Teatro)
1945 - Berenice (Teatro) - Lídia
1946 - Mistério (Teatro)
1946 - Perfídia (Teatro) - Alexandra Giddens
1946 - Uma Mulher Sem Importância (Teatro)
1947 - Chantage (Teatro) - Antonieta
1947 - Quero Ser Feliz (Teatro) - Luciana
1949 - Diabinho de Saias (Teatro)
1950 - A Herdeira (Teatro)
1950 - Beija-me e Verás (Teatro)
1952 - A Túnica de Vênus (Teatro)
1953 - O Imperador Galante (Teatro)
1955 - Beija-me e Verás (Teatro)
1955 - Diabinho de Saias (Teatro)
1955 - Divórcio (Teatro)
1955 - Nascida para Ser Má (Teatro)
1955 - O Sonho (Teatro)
1955 - Pedacinho de Gente (Teatro)
1955 - Senhorita Barba-Azul (Teatro)
1955 - Sua Excelência a Prefeita (Teatro)
1955 - Tarde Demais / A Herdeira (Teatro)
1956 - Memórias de um Sargento de Milícias (Teatro)
1957 - Teatro Câmera Um: Viajantes para o Mar (Televisão)
1958 - Peguei Um Ita no Norte (Teatro)
1958/1959 - A Compadecida (Teatro)
1959 - Tia Mame (Teatro)
1961 - Carlota (Teatro)
1971 - Querido, Agora Não (Teatro)
1977/1978 - O Astro (Televisão) - Inezita Quintanilha

2 comentários:

Antonio Leopoldo Rossi disse...

Que surpresa! Não imaginava que a Dona Elita fosse tão bonita assim quando era jovem e nem sabia também desse outro nome . Eu me lembro dela velhinha, sempre sentada em uma cadeira de balanço, se abanando com um leque, quando ela vinha passear em Araxá-MG, com a família. Na época eu era criança, e chamava ela de Vó Lita. A propósito, sou afilhado da filha dela, a minha querida madrinha Antonieta. Muitas saudades!

MARIO GORDILHO disse...

1958 - Peguei Um Ita no Norte (Teatro)
1971 – Querido, Agora Não (Teatro)