Pesquisar este blog

segunda-feira, 9 de dezembro de 2019

Mário Lago



Nome real: Mário Lago

Créditos: Mário Lago, ou Mario Lago

Atividades: Ator, radioator, autor, novelista, tradutor, radialista, roteirista, redator, apresentador, escritor, poeta, compositor e letrista

Áreas: Rádio, cinema, teatro e TV

Nascimento: 26/11/1911, Rio de Janeiro/RJ

Óbito: 30/05/2002, Rio de Janeiro/RJ

Causa óbito: Enfisema pulmonar

Relacionamentos: Viúvo de Zeli Cordeiro (1947-1998), cinco filhos: Antônio Henrique, Graça Maria, Mário Lago Filho, Luiz Carlos e Vanda.

Nota: Estava aposentado. Formado em Direito. Atuou também como advogado. Era militante do Partido Comunista. Sofreu um infarto em 1971.

Carreira: 1935-2001

Alguns trabalhos:

1935 - Ressurreição de Eva! (Teatro) - Tradução
1936 - Figa da Guiné (Teatro) - Autoria
1937 - Mamãe Eu Quero (Teatro) - Autoria
1937 - Rumo ao Catete (Teatro) - Autoria
1938 - O Fim do Mundo (Teatro) - Autoria
1941 - Canário (Teatro) - Autoria
1942 - Deus Lhe Pague (Teatro)
1942 - Mania de Grandeza (Teatro)
1942 - O Sábio (Teatro)
1943 - Divorciados (Teatro)
1946 - Rádio Nacional: Show A Canção de Maria (Rádio)
1947 - Obsessão (Teatro) - Autoria
1947 - Ser ou Não Ser (Teatro) - Adaptação
1948 - Rádio Nacional: Radionovela Chantage (Rádio)
1948 - Rádio Nacional: Radionovela O Céu Fica Tão Perto! (Rádio) - Inspetor Eurico
1948 - Rádio Nacional: Radionovela Uma Vida (Rádio) - Alfredo
1951 - Rádio Nacional: Radionovela Essa Estranha Mulher (Rádio) - Estevão, além da Direção
1951/1952 - Rádio Nacional: Radionovela O Direito de Nascer (Rádio) - Dom Mariano / Narrador
1952 - Rádio Nacional: Radionovela Entre o Céu e a Terra (Rádio) - Castro
1952 - Rádio Nacional: Radionovela O Homem da Casa Verde (Rádio) - Aparício
1952/1957 - Rádio Nacional: Série Presídio de Mulheres (Rádio) - Adaptação, Roteiro e Direção
1953 - Larga Meu Homem (Teatro) - Autoria
1953 - Rádio Nacional: Radionovela Ouro Branco (Rádio) - Mario
1953/1954 - Rádio Nacional: Série Radar, Filho do Sombra (Rádio) - Inspetor Hudson
1954 - Rádio Nacional: Radionovela O Mestre do Silêncio (Rádio)
1955 - Assim de Mulher! (Teatro) - Autoria
1955 - Rádio Nacional: Programa Grande Teatro De Milus 'Divórcio' (Rádio) - Médico
1955 - Rádio Nacional: Programa Grande Teatro De Milus ‘O Ciclone’ (Rádio) - Capitão Stevens
1955 - Rádio Nacional: Radionovela Canção de Leonora (Rádio) - Direção
1955 - Rádio Nacional: Radionovela Destino de Helena (Rádio) - Autoria
1955 - Rádio Nacional: Radionovela Mariângela, a Que Não Via a Luz do Sol (Rádio) - Autoria e Direção
1955 - Rádio Nacional: Radionovela Pertinho do Céu (Rádio) - Andrade Japonês, além da Direção
1956 - A Força do Perdão (Teatro)
1956 - Rádio Nacional: Programa Grande Teatro De Milus ‘Assim É... Se Lhe Parece’ (Rádio) - Prefeito
1956 - Rádio Nacional: Radionovela A Noiva das Trevas (Rádio) - Barão de Montserrat, além da Direção
1956 - Rádio Nacional: Série Presídio de Mulheres ‘Orgulhosa Demais’ (Rádio) - Autoria
1957 - Rádio Nacional: Radionovela Uma Esperança pelo Amor de Deus (Rádio) - Barão Renato de Alcântara
1957 - Rádio Nacional: Radionovela Vinte Anos de Solidão (Rádio) - Alfonso, além da Direção
1958 - A Força do Perdão (Teatro)
1958 - Rádio Nacional: Radioteatro A Vida de Nosso Senhor Jesus Cristo (Rádio) - Herodes
1958 - Se Quer, Diz Logo (Teatro) - Autoria
1958 - Teatro de Comédias TV Rio: Réquiem (Televisão)
1958 - Teatro de Variedades TV Rio: A Morte Dirige a Comédia (Televisão) - Narrador
1958 - Teatro de Variedades TV Rio: A Única Testemunha (Televisão)
1959/1962 - O Marido da Estrela (Televisão) - Redação
1960 - A Força do Perdão (Teatro)
1960 - Teatro Studio A TV Rio: Grande Hotel (Televisão)
1960 - Teatro Studio A TV Rio: Rainha do Ferro Velho (Televisão)
1962 - A Força do Perdão (Teatro)
1964 - Os Direitos da Mulher (Teatro)
1969 - Amanhã É Dia de Pecar (Teatro) - Autoria
1969 - Especial: Auto de Natal (Televisão)
1969 - Frank Sinatra 4.815 (Teatro)
1969 - Rosa Rebelde (Televisão)
1972 - Caso Especial: A Dama das Camélias (Televisão) - Pai
1976 - O Casarão (Televisão) - Atílio Souza

2 comentários:

Marcus Teixeira disse...

Grande Mário Lago, bom em tudo que fazia.

Anônimo disse...

Atuou em grandes coisas mesmo!
Lembro de uma cena em LOUCO AMOR onde 'preparava uma sabotagem e SÓ APARECIA O CAPUZ MEIO SEM A CABEÇA'... sinistro mesmo! Tinha 8 na época e era meio que "novidade".
Seu neto estudou numa escola onde estudei, no LEBLON: onde uma vez estava DANDO AUTOGRAFOS.


* E mais um tabagista/alias esta gente do meio SE VICIA EM TANTA COISA.